30/06/2018

Poderia dizer

coisas leves
alegres
só pra te ver 
sorrir

não bastaria...

logo saberias
que estou a mentir


h.f.
30 jun./2018


Não duvides

do meu amor
ainda que te faltes
ou maltrates 
o sentir

não me olvides
por estar
sem ti


h.f.
30 jun./2018


16/06/2018

Não gosto de águas claras,

paradas...

Sinto-me como se estivesse
remando

contra a maré


h.f.
16 jun./2018


Seu amor

não é suficiente

Viver não é
suficiente

Fazer, se não é 
suficiente,

ocupa o corpo
o coração

a mente


h.f.
16 jun./2018


15/06/2018

Ressaca...

Ressaca assim... 
Ela mesma:
destituída de sentido
algum senso de estética

Ressaca...
melhor não tê-la bebido
tingido de véspera


h.f.
15 jun./2018


14/06/2018

10/06/2018

Não te amo

quando o mundo tenta
fazer-me feia
ou má

a realidade é alheia
a outras formas
de sentir

ser 
e estar

não te amo
despossuída de mim

de amar


h.f.
10 jun./2018


08/06/2018

Do que (não) escrevo

não escrevo
poemas
e sim cartas
de amor

velhos e novos 
dilemas
a um único 
leitor


h.f.
8 jun./2018


03/06/2018

Não seria o caso

de pensarmos
no fim?

desfronteirar
sentir?


h.f.
3 jun./2018


Sonhei contigo

a cada espera
primavera

assunto

mesmo quando
não havia sonho
sonhado

junto


h.f.
3 jun./2018


O pior está sempre por vir

“... you'll never see the end of the road
While you're travelling with me”.
Neguei uma
duas
três vezes...

Não por medo:
― por não suportar
tanto sentir!

E eis que continuas
o amor que desejo

O pior está sempre
por vir...


h.f.
3 jun./2018


01/06/2018

Como pode

Try to catch the deluge in a paper cup...

um sentimento
acordar
com tamanha
fúria
como se primeira
a última
embriaguez?

o que outrora
memória
não
se fez?

como pode
só termos 
tido
talvez

quando tendíamos a "era uma vez"?


h.f.
1 jun./2018


"O sonhador, em seu devaneio, não consegue sonhar diante de um espelho que não seja profundo."

(Gaston Bachelard)