26/03/2017

Sinto

Não, não penso
que o amor seja do meu jeito...

Na verdade, nem penso:
sinto

E sinto muito
 
sentir...


h.f.
26 mar./2017


Se fosse amor

E essa chuva que não cessa,
que faz crescer o estio?

E esse eterno desvario
tão carregado de sentimento
e feitio?

Se fosse amor...
não deixar-me-ia desaguar
no vazio:

preencher-me-ia


h.f.
26 mar./2017


A passos de lesma

Lá fora,
tudo parece
estar na mesma...

Aqui dentro,
a saudade me rasteja

me devora a passos 
de lesma


h.f.
25 mar./2017


25/03/2017

TrêSóis

14 jun./2009

Enquanto bebo cerveja... olho as imagens postas sobre a mesa. Penso no que poderia ter sido – e no que poder-se-ia ser. Se ainda há eu e você. Se uno em nós. Se fomos tão sós que precisávamos de trêsóis para aquecer as noites de inverno. Enquanto bebo cerveja, esqueço que há outros entre lençóis...


h.f. | 
25 mar./2017




*Poema republicado e com nova formatação.

24/03/2017

É melhor você tirar esse chapéu...


Your trousers cuffs are dirty
and your shoes are laced up wrong
you´d better take off your homburg
cause your overcoat is too long


23/03/2017

É da sua proeza

A natureza
encontra formas 
de se rebelar
à razão...

Mesmo que não
lhe demos qualquer 
vazão,

é da sua proeza
germinar as flores
do coração


h.f.
23 mar./2017


22/03/2017

Dói a não ideia

Sinto a sua falta...

Como poderia não
sentir?

Amor, paixão,
ternura...
não se perde ao sabor
do vento
Ainda que se queira
só 
e atento

Sinto a sua falta...

Dói a não ideia
de preenchimento


h.f.
22 mar./2017


19/03/2017

Para não dizer que lhe esqueci...

Lembrei que seu amor
era de súbitas vindas
e raras voltas

Deserto de águas
revoltas


h.f.
19 mar./2016


10/03/2017

Como em quando

Ainda bem que nenhum
estado é 
permanente

Que fazer muda
a percepção das coisas
e as coisas mesmas
 em si

Que existem outros dias
e cores e pontes diversas
provocando frenesi

Que a vida se manifesta
aberta ou pelas frestas
como em quando
ri



h.f.
10 mar./2017

   

06/03/2017

Isso pode nem ser ruim

Como se libertar de um vício? D'um sentimento tão sentido quanto irrealizável? Como viver sem a idealização de ter-lhe ao lado? Dói tudo... Falta-me o ar. Mas já não sentia-lhe a presença... E pouco sabia de sua vida: se morto, vivo... achado ou perdido n'alguma esquina. Preciso reaprender a viver: saber-me só. Entender que sonhos podem se deteriorar até virarem pó. E isso pode nem ser ruim... Deixar-me-ei partir.

h.f. | 6 mar. 2017 


05/03/2017

Se não houver procura

Estou no limite...

de loucura

ou lucidez, – tanto faz

Quero minh'alma livre


Se não houver procura,

talvez encontre alguma

paz




h.f.

5 mar./2017


03/03/2017

Só o vazio

Em que tempo-
espaço
nos perdemos?
Nos distanciamos?

Olho o horizonte
e o que sinto
é o frio vindo
das montanhas

Queria você aqui...
Mas sei: é desejo
vão!

Só o vazio me agasalha
nesta estação


h.f.
3 mar./2017


Não desgruda...

Sofrer por amor
Por bem perdido
Por sentimento
fodido
Por alguma porra
que se idealizou
E nem por isso desgruda


h.f.
3 mar./2017


Ando avessa...

dile que vive en tus sueños,
que no habrá ninguna más que ella para ti.
Y cuando le entregues

la promesa de tu amor eterno.
Sabrás si has amado tanto,
si has amado a una mujer de veras.


Só não mando
bilhetinho
com promessa
de amor sem fim
porque ando avessa
à coisa de sonho
ou expectativa
ruim


h.f.
2 mar./2017


Choro, mas resisto...

Choro a sua ausência...
Se não morro, é porque
viver ainda me reserva
alguma capacidade
de resistência


h.f.
2 mar./2017


"O sonhador, em seu devaneio, não consegue sonhar diante de um espelho que não seja profundo."

(Gaston Bachelard)