30/05/2012

se...




se fosse simples
se fosse fácil
se fosse tátil
se fosse verdadeiro
não serias o primeiro
mas certamente o último



hfernandes


21/05/2012

anil


Vou partir a geleira azul da solidão
E buscar a mão do mar
Me arrastar até o mar, procurar o mar...


João Bosco e Aldir Blanc,
in fragmento de Corsário.




se me tiras a voz,
a mão e a escrita

que me versam?

a minha face é anil
se dissolve azul nas águas


hfernandes



18/05/2012

era caqui



ainda lembro do beijo
do sabor que, em sonho,
experimentei

tinha cor cheiro maciez
e era caqui



hfernandes

,



17/05/2012

arco_íris




unir-me-ia à tua diferença
não para estabelecer igualdades

para destituir as territorialidades
que nos separam invisível

e corporeamente



hfernandes



01/05/2012

poesia-amanhã



não vivo de coisas velhas
- vivo de relíquias

raridades que o tempo
revitaliza sobre laudas




é porque trago a mania
de enredos passados
de sonhos visionados
em sessões de nostalgia

mas a minha poesia
é pra despertar manhãs



hfernandes


melodia aberta


como pertencer a essa época
se Elvis não morreu?

meus braços são rios,
desvios em direção ao mar


hfernandes




Os rios solitários
correm para o mar, para o mar
para os braços abertos do mar

Os rios solitários sussurram,
espere por mim, espere por mim
Estou voltando para casa,
espere por mim


fragmento de "Unchained melody",
na versão de Elvis Presley.



"O sonhador, em seu devaneio, não consegue sonhar diante de um espelho que não seja profundo."

(Gaston Bachelard)